As úlceras são lesões superficiais ou profundas que podem ocorrer em algumas regiões do corpo. As mais conhecidas pelos médicos vasculares ocorrem nos membros inferiores: as úlceras arteriais e as úlceras venosas. Elas estão associadas a problemas de circulação sanguínea, porém cada uma possui as suas particularidades. Quer saber mais? Continue lendo e descubra as principais diferenças entre elas!

As úlceras venosas (varicosas) são causadas pelo acúmulo de sangue nos membros inferiores devido ao mau funcionamento das veias. Isso ocorre pela dificuldade em transportar o sangue, que impossibilita a circulação sanguínea e, consequentemente, causa as lesões. Se você tem varizes, tratá-las é fundamental para evitar a evolução das lesões.

É o tipo mais frequente, cerca de 73% das úlceras nas pernas são de origem venosa, segundo dados da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV- BA).

As úlceras venosas serão diagnosticadas mediante avaliação minuciosa do paciente por meio de exames como o ultrassom e a pletismografia (detecta insuficiência venosa e falha na bomba periférica).

Já as úlceras arteriais costumam ser bem mais graves, especialmente pela difícil cicatrização e tratamento. Elas ocorrem em virtude da obstrução das artérias, uma vez que há ausência do fluxo sanguíneo, resultando na morte celular e no surgimento das lesões.

Esse tipo de úlcera geralmente está relacionado à doença arterial obstrutiva periférica (DAOP), sendo a aterosclerose a causa mais comum. Nela, há um acúmulo de placas de gordura e outras substâncias na parede das artérias, causando obstrução do fluxo sanguíneo.

As úlceras arteriais são comuns na região acima ou lateral do tornozelo e nas extremidades dos dedos dos pés. Também costumam ser mais dolorosas e demoram mais para cicatrizar do que as úlceras venosas.  Após o diagnóstico, o tratamento será realizado de acordo com a obstrução arterial.

Em ambos os casos, se a cicatrização da ferida persistir por semanas, sem qualquer sinal de melhora, é hora de investigar! A detecção e o tratamento precoce garantem melhores resultados e evitam complicações futuras. O acompanhamento com um cirurgião vascular é primordial para a efetividade do tratamento.

Medidas importantes de prevenção

A prevenção é o melhor remédio. Doenças venosas (varizes, trombose venosa) devem ser acompanhadas de perto pelo seu médico vascular com medidas que evitam a estase do sangue: fazer exercícios periodicamente, evitar longa permanência em pé, controle do peso corporal, evitar sedentarismo e ter alimentação saudável.

Doença arterial periférica tem relação muito forte com hipertensão arterial, tabagismo, diabetes e dislipidemias (colesterol e triglicerídeos alterados), além de doenças reumáticas. Procure sempre o acompanhamento do especialista e evite a formação de úlceras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?